(31) 98496-4749

Segunda a sexta, de 14h30 às 21h30​

(31) 3571•9300

Segunda a sexta, de 14h30 às 21h30

5 motivos para você começar um curso técnico agora mesmo

Compartilhar artigo

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Você terminou o Ensino Médio pensando em entrar na faculdade. No entanto, já está no mercado de trabalho, e não gostaria de gastar muito do seu salário com mensalidades. Fazer um financiamento das parcelas também não lhe agrada. Além disso, percebeu que diplomas de graduação não garantem, necessariamente, empregos bons e sólidos. Ficar estagnado(a) no atual cargo também não é uma opção. Tendo tudo isso em vista, veja 5 motivos para começar um curso técnico agora mesmo!

1 – O mercado está cheio de ótimas oportunidades para quem faz curso técnico.

Muitas empresas – de grande e pequeno porte – precisam contratar técnicos em diversas áreas. Há a ideia equivocada de que, para se trabalhar em instituições sonhadas, como a Vale, a Anglo Gold, a LafargeHolcim, a Belocal, entre tantas outras mineradoras, é necessário ter concluído o ensino superior. No entanto, basta dar uma rápida olhada nos sites dessas empresas para ver que elas buscam, a todo momento, profissionais de nível técnico, principalmente em mineração, segurança do trabalho e em mecânica.

Também é grande a procura de construtoras por profissionais técnicos em edificações. Sabemos que o mercado da construção civil é sólido e passa por grandes crises a pleno vapor, especialmente em países em desenvolvimento, como o Brasil. Obras de construção, de reforma ou de restauração são recorrentes, sejam de edificações comuns, públicas, ou até estradas, barragens ou outras estruturais. Engana-se quem imagina que esses postos de trabalho se reduzem às vagas para engenharia ou para a mão de obra direta, como pedreiros e ajudantes. Existe uma grande oferta para os técnicos em edificações, extremamente necessários para desempenharem várias funções essenciais à boa entrega do produto.

2 – Cursos Técnicos são mais barato que a graduação, e pode ter um retorno financeiro tão bom quanto um diploma de faculdade.

As mensalidades dos cursos técnicos são bem menores que as de uma faculdade. Além disso, o tempo de duração do curso técnico é mais curto. Por isso, o estudante que opta pela formação técnica gasta menos, não precisa se endividar com financiamentos, e está apto a entrar no mercado como um profissional qualificado mais rápido. Dessa forma, consegue receber um salário de profissional qualificado oficialmente mais cedo – o que é outra vantagem financeira.

Outra questão que podemos perceber é a diferença salarial entre os profissionais técnicos e graduados. Na prática, a diferença pode ser menor que imaginamos. Isso porque várias empresas contratam profissionais graduados como analistas, o que é, na prática, uma forma de não pagar o piso salarial. Dessa forma, o piso não é garantido na realidade. Além disso, vemos pessoas técnicas desenvolvendo planos de carreira excelentes, e chegando a ótimos salários dentro das instituições. Também conseguimos verificar muitos cargos em concursos públicos voltados à formação técnica. A Petrobras, por exemplo, contrata técnicos(as) em segurança do trabalho, em mecânica e até em enfermagem para atuarem em suas bases. Isso se dá por concursos e por contratos com terceirizadas.

3 – Um bom curso técnico pode significar grande aumento de renda – com estratégia.

Em alguns casos, diferente do que pensamos, há maior número de vagas para pessoas técnicas que para graduadas. Inclusive para contratos curtos ou prestação de serviço. Exemplos disso estão em instituições voltadas à saúde. Hospitais de saúde em geral, especializados, clínicas, laboratórios e até pessoas físicas buscam, constantemente, profissionais técnicos em enfermagem para diversas demandas. Nem sempre o(a) enfermeiro(a) é o(a) profissional mais indicado para determinadas tarefas. Uma situação recorrente na atualidade tem sido a contratação de técnicos em enfermagem para acompanharem idosos, grávidas e bebês nas residências. Há uma enorme demanda por essa função, e os salários estão em bons valores. Além disso, são funções que podem ser realizadas como trabalho extra, ou em vários contratantes, o que aumenta muito a renda mensal do(a) trabalhador(a)

4 – Cursos técnicos são objetivos, focados na parte técnica e em aulas práticas em laboratório.

Ao optar por fazer um curso técnico, é importante que o(a) estudante escolha bem a instituição onde o fará. Devemos partir do mesmo rigor que temos ao escolher uma faculdade, quando é o caso. A instituição fará diferença na sua formação. Algumas oferecem cursos extremamente objetivos, focados no conhecimento exigido pelas empresas, pelo mercado. Outras, por sua vez, deixam o estudante se surpreender nos processos seletivos. Escolha uma instituição que ofereça aulas práticas, independente do curso que você for fazer.

Às vezes construímos a ideia equivocada de que apenas cursos da área de biológicas têm as chamadas “aulas práticas”, o que não é verdade. É claro que o curso técnico em enfermagem, por exemplo, conta com aulas de laboratório, essenciais para o(a) estudante aprender tarefas da prática profissional. No entanto, na Faculdade Asa, o curso de edificações também tem aulas experimentais, bem como os cursos técnico em segurança do trabalho, em mecânica, em mineração, entre outros. Antes de se matricular, cheque a grade curricular da instituição que você escolheu. Confira, também, a lista de professores e seus currículos. Isso está disponibilizado na plataforma Lattes do CNPQ, basta saber o nome completo do(a) professor(a).

5 – Não é preciso terminar o ensino médio para começar um curso técnico.

Um curso técnico pode ser iniciado antes mesmo que o(a)estudante termine o Ensino Médio regular. Você pode iniciá-lo assim que terminar a nona série do Ensino Fundamental 2. Dessa forma, é possível sair formado no técnico aos dezoito anos, idade em que várias empresas gostam de contratar. Apesar dessa possibilidade, que, infelizmente, não é conhecida por todos, você também pode – e deve – se matricular em um curso técnico após encerrar o Ensino Médio. Não há regras nem limites de cursos técnicos que uma pessoa pode fazer. Existem situações em que a empresa onde a pessoa trabalha solicita que ela faça determinado curso técnico para atender a determinada demanda.

Outra questão importante a se considerar é que fazer um curso técnico não impede que o profissional faça uma graduação no futuro. Alguns trabalhadores fazem o curso técnico por ser um curso mais barato e, depois, quando estão trabalhando, cursam a faculdade ligada ao tema do técnico. Muitas vezes, um conhecimento complementa o outro, e esse funcionário tem habilidades de destaque no mercado.

A Faculdade Asa oferece excelentes cursos técnicos em enfermagem, edificações, mecânica, mineração e segurança do trabalho. Sua equipe de professores é formada por profissionais com vivência no mercado corporativo e alto conhecimento acadêmico – associação extremamente importante. Eles são competentes, assim, a garantirem uma formação completa aos estudantes – da teoria à prática.